Centro Cultural de Machico

2003

A PECS foi responsável pelos projectos de estrutura e fundações e de algumas especialidades do edifício destinado a um centro cultural localizado em Machico.

 

Além do desenvolvimento dos projectos foi também responsável pela sua coordenação e pelo acompanhamento dos respectivos licenciamentos administrativos.

 

Trata-se de um edifício composto por um piso enterrado e 4 em elevação. Engloba um estacionamento no piso enterrado, áreas comerciais, zonas de exposição, auditório, jardim, anfiteatro exterior, palco/sala polivalente e respectivas zonas de apoio, nos pisos elevados. O piso de estacionamento enterrado está dividido através de uma junta de dilatação, entre uma zona unicamente em piso enterrado e a zona com construção acima do solo. 

Descrição

Uma das particularidades do edifício consiste na heterogeneidade de soluções estruturais. Recorreu-se não só às mais correntes soluções em betão armado bem como a soluções mais complexas. Por conseguinte utilizaram-se soluções estruturais de laje mista com chapa colaborante apoiada sobre estrutura metálica e soluções estruturais de laje constituída por  estrutura mista com perfis metálicos laminados HEB600 e laje maciça de espessura 0.30. A escada metálica central, de acesso à sala de exposições é um bom exemplo do trabalho em parceria entre a Arquitectura e a Estrutura. A estrutura do edifício é constituída por lajes maciças ou aligeiradas, vigadas ou fungiformes de betão armado, com espessura variável entre 0,20 e 0,50m consoante as zonas do edifício. Estas lajes funcionam apoiadas directamente sobre pilares, vigas e paredes, os quais transmitem as cargas às fundações.

 

Dadas as características do terreno, fraca resistência e existência de nível freático, as fundações foram realizadas recorrendo a um ensoleiramento geral, de modo a garantir uma tensão distribuída no terreno de baixo valor, e a conseguir-se controlar as deformações diferenciais entre os vários elementos. O perfil do ensoleiramento incluiu uma laje maciça em betão armado, camada de brita com a função de drenar as águas devido a infiltrações ou que porventura podiam atravessar a laje de fundo, e massame, executado com uma pendente de 0,5%, que acompanha a pendente do ensoleiramento geral.

A solução proposta para a realização da escavação passou pela execução de taludes na quase totalidade do perímetro do edifício. Na zona a Poente, dado o grande desnível existente e a profundidade da escavação a efectuar, foi projectada uma cortina de estacas ancoradas no terreno. Esta cortina de estacas funcionou unicamente como contenção provisória, sendo o edifício fundado no ensoleiramento geral a executar posteriormente. Desta forma, procedeu-se à desactivação das ancoragens após o betão dos muros de contenção apresentar resistência suficiente para o efeito, e unicamente após a execução da laje de cobertura desta zona.

Ficha Técnica

Especialidades envolvidas:

  • Coordenação de Projeto;

  • Estabilidade;

  • Instalações Elétricas e de Telecomunicações;

Cliente: Sociedade Metropolitana de Desenvolvimento, S.A.

Projecto: 2003
Obra: 2003 / 2005

  • LinkedIn
  • Facebook
  • Asset 3@600x